Secretaria Municipal do Fomento e Meio Ambiente faz campanha de coleta para reciclar lâmpadas na cidade de Campo do Tenente

Reciclagem de lampadasDescartar lâmpadas fluorescentes em lugares inadequados, além de ser um perigo para a saúde e para o meio ambiente, é um problema nacional. 

A preocupação com o destino deste tipo de lixo tóxico, especialmente as lâmpadas que contêm mercúrio, é tema de estudo do governo federal, com base na Lei de Resíduos Sólidos, e as empresas que fabricam ou importam este tipo de produto.

Segundo dados recentes, das 290 milhões de unidades vendidas por ano no Brasil, aproximadamente 95% são descartadas de forma inadequada.

Como as lâmpadas têm mercúrio, um metal altamente tóxico, contaminam o meio ambiente se forem parar nas ruas ou lixões. Uma lâmpada fluorescente de 32 watts tem potencial para poluir 30 mil litros de água.

A campanha realizada em Campo do Tenente, através da Secretaria Municipal do Fomento e Meio Ambiente está recolhendo as lâmpadas, pilhas e baterias que não servem para uso. O objetivo é dar o descarte correto a estes materiais.

Em nossa cidade os pontos de coleta são em pontos do comércio local e escolas, onde receberão caixas identificadas com o slogan d campanha. Após serão coletados e todo o material recebido é encaminhado para o aterro industrial onde é submetido a tratamento e disposição final adequado. Após a descontaminação (remoção do mercúrio), as lâmpadas fluorescentes são encaminhadas para reciclagem do vidro e alumínio.

Segundo o secretário da agricultura e meio ambiente de Campo do Tenente, Senhor Guilherme Roque Casagrande “é de extrema importância que toda a comunidade participe da campanha, pois, através dessa coleta é possível reciclar esses materiais que possuem substâncias perigosas”.

A Lâmpada fluorescente

Apesar da praticidade, durabilidade e economia da lâmpada fluorescente, no interior dela existe um componente químico muito perigoso à saúde: o mercúrio, um metal pesado e tóxico. Devido a ele, o descarte se torna muito complicado.

Os riscos do mercúrio

O mercúrio ainda tem a companhia do chumbo na composição das lâmpadas. Segundo a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), o valor máximo de mercúrio que pode estar concentrado em uma unidade é de 100 miligramas de mercúrio por quilo do resíduo. O contato com a substância em níveis mais altos pode gerar sérios problemas à saúde.

 

O maior problema acontece quando a substância é inalada, ainda mais se a quantia de mercúrio elementar for grande, o que pode causar problemas neurológicos e até hidragirismo (intoxicação que causa tosse, dispnéia, dores no peito e outros problemas mais graves).

Na questão ambiental, quando o mercúrio é despejado de maneira irregular em rios, por exemplo, ele volatiza e passa para a atmosfera, causando prováveis chuvas contaminadas. Pode acontecer também de microorganismos absorverem o mercúrio, tornando-o orgânico em vez de metálico. Animais aquáticos e plantas podem reter o mercúrio e assim contaminar o meio ambiente sem que exista chance de erradicação.

O mercúrio é liberado ao longo de duas semanas após seu descarte. Apenas nos EUA, são liberadas na natureza entre duas e quatro toneladas de mercúrio anualmente.

E se quebrou?

Fique atento! Antes de limpar a área, a primeira coisa a se fazer é retirar do local as crianças e os animais, além de não deixar que ninguém toque o material.

Ventilar o ambiente também é importante. Por isso, janelas e portas devem ser abertas o mais rápido possível. Para retirar os cacos, use luvas e os coloque em um saco plástico que possa ser lacrado para limpar os pequenos pedaços em pó. Use fitas adesivas e papel toalha umedecido para limpar os últimos resíduos que podem passar despercebido.

Se a lâmpada fluorescente quebrou em cima de roupas de cama ou qualquer outro tipo de material que tenha contato direto com o corpo, esta peça não pode mais ser reutilizada, mesmo após lavagem! Ela tem que ser descartada, pois o contato com mercúrio já a inutilizou. No caso de se cortar com os cacos de vidro, procure assistência médica o mais rápido possível.

Descarte especializado

Processos realizados em locais especializados são responsáveis por retirar o mercúrio das lâmpadas fluorescentes, assim elimina-se a possibilidade de contaminações ambienteis e intoxicações. Até por isso, o descarte deve ser bem feito, procurando quais os lugares certos, isolando o material em caso de quebra e avisando sobre o conteúdo entregue.

Não deixe que este material seja levado para aterros comuns! Muitas embalagens deste tipo de lâmpada avisam se o produto é reciclável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.