Emater e Prefeitura de Campo do Tenente Dão Inicio a Inclusão Produtiva e Social através do Plano Brasil Sem Miséria No Meio Rural.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi realizada no dia 26/03, reunião para fortalecer a parceria entre os vários setores do município e assim pôr em prática o Programa Brasil Sem Miséria no Meio Rural, que tem como meta atender 60 famílias com direitos de acessar os benefícios de acordo com as Normas. Estiveram presentes na reunião, Prefeito Jorge Luis Quege, Vereadora Lindamir Aparecida Wenski, Secretário de Gabinete Celso Wenski, Ação Social – Alcidenice Quege, Saúde – Karina Negrelli,

Secretário Agricultura e Meio Ambiente – Guilherme Roque Casagrande, CRÁS, COMITE FAMILIA PARANAENSE, CMDR-Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável, EMATER – Coordenação Estadual Do Programa Brasil Sem Miséria para o Meio Rural – Eng.ª Agrª Mary Stela Bischof , EMATER – Coordenador Técnico Regional Curitiba Eng.º. Agrº. João de Ribeiro Reis Júnior, EMATER – Responsável Municipal pelo Programa Técnico Agrícola – Dycezar de Lima. Iniciando a reunião o prefeito comentou da importância de atender famílias que realmente precisam de incentivos para sair da situação de miséria e que fará o que estiver ao alcance da administração para apoiar o Instituto Emater na execução do trabalho. Reforçando o interesse em desenvolver o Programa no município o Secretário de Gabinete da Prefeitura Celso Wenski reforçou “precisamos apurar com seriedade os dados cadastrais que dão fundamento a inserção destas familiais no Plano Brasil Sem Miséria, por isso a prefeitura fará todo o esforço necessário, para atualizar os dados das famílias aprovadas pelos conselhos para que não se cometa injustiças tanto na inclusão como na exclusão das famílias beneficiadas”. Dando seguimento a Coordenadora Estadual do Programa Engª Agrª Mary Stela Bischof, fez uma explanação aos participantes sobre a metodologia de trabalho que envolve a seleção das famílias com renda familiar per capta até ou inferior a R$ 70,00 mensais, diagnósticos das UPFs, elaboração de projeto de inclusão produtiva e social, visitas técnicas e eventos coletivos de capacitação e o tempo para cumprir as metas.

Foi enfatizado a importância dos Conselhos, principalmente do Comité “Família Paranaense” na seleção dos beneficiários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.